sábado, 14 de Fevereiro de 2009

Avanços Tecnológicos na Fisioterapia, CIM & Tecarterapia

Deparamo-nos com aquele corpo, aquele membro dolorido, que pedem, de novo, harmonia, movimento, agilidade, plena funcionalidade afinal, que nos reenviam para outra esfera, apelam a outras dimensões escapando a todo o engenho e arte.

A realidade é, por natureza, paradoxo e contradição, desdobra-se no sim e no não, implica-se em dimensões simbólicas. Tem de ser tocada progressivamente, como quem domestica sem no entanto diminuir, como quem se abeira sem se impor, como quem se dá sem cálculo nem subterfúgio. A realidade é um foco inesgotável de descoberta e de pergunta, de questionamento e de proposta. Para que o desafio que a realidade lança à Fisioterapia seja provisoriamente, mas consecutivamente ganho, é preciso que o Fisioterapeuta seja tocado por um vasto conjunto de saberes e que se apodere de tecnologia e técnicas sem nunca descurar o essencial, ou uma parte substancial, a pessoa.

O saber tem, contudo, de transformar-se em relação, implicar-se em mundo, assumir-se, participar, ser no concreto, no dia-a-dia, criar raízes, pois afinal, a realidade desafia ininterruptamente, incansavelmente, a tecnologia e as técnicas por mais exactas e eficazes.
Do diálogo ininterrupto entre a realidade, que tem a complexidade da pessoa humana, e a tecnologia, que conta com a persistência identitária dos Fisioterapeutas urge dar uma resposta imediata às mudanças na Saúde, às necessidades dos doentes/utentes/clientes e às expectativas dos próprios Fisioterapeutas; daí que a Fisioterapia procure encontrar um método terapêutico eficaz, inócuo e de resultados rápidos. O equipamento CIM (Capenergy Ipertermia Medical) é o primeiro equipamento de hipertermia profunda do mercado que garante estes três pontos.


Trata-se de um equipamento pouco implantado no nosso país, contudo, amplamente difundido em países como Espanha e Itália, onde os seus resultados são deveras considerados. Em Portugal, concretamente na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa e pela mão do Fisioterapeuta Luís Ribeiro, o mesmo tem sido usado com o intuito de discutir a sua mais-valia enquanto opção de tratamento válida e eficaz, no tratamento fisioterapêutico de diversas situações patológicas. Os resultados entretanto conseguidos permitem afirmar desde já que o CIM é sem dúvida um método terapêutico de grande eficácia, suplantando outros que gozam (na Fisioterapia) de modismos e/ou validade cientifica comprovada.

O CIM estimula as correntes internas do corpo humano de forma a recuperar a sua capacidade fisiológica, quando esta se encontra alterada, de uma forma perfeitamente inócua. A actividade biológica da corrente manifesta-se produzindo efeitos energéticos atérmico e térmico, este gerado pela fricção entre os iões devido ao seu deslocamento, origina o efeito de hipertermia localizada, que provoca um aumento no fluxo sanguíneo, com consequente aumento de distribuição de oxigénio e nutrientes a nível celular. Assim, o doente experimenta uma sensação de calor agradável, calor esse que é endógeno – hipertermia profunda.

O CIM tem uma vasta gama de potencialidades aplicativas que integram uma nova técnica, a Tecarterapia - Transferência Energética Capacitiva e Resitiva. Sintetizando, em todos os tecidos danificados onde ainda exista vascularização, conseguem-se obter resultados duradouros e rápido alívio, tanto em condições agudas como crónicas, que acometam cabeça, tronco ou extremidades. Os efeitos manifestam-se tanto no plano subjectivo como no plano tecidular. Ao nível subjectivo, a dor e a limitação funcional experimentam uma rápida remissão; ao nível tecidular assiste-se a uma rápida evolução do edema, da inflamação e das eventuais lesões com “restitutio ad integrum” quando se intervém rapidamente perante as formas agudas, nas crónicas, assiste-se a uma estabilização tecidular com remissão dos desiquilíbrios. Mais importante do que catalogar aqui as patologias que podem ser tratadas eficazmente com CIM, fica desde já disponível o e-mail tecartherapy@gmail.com para que possa contactar os profissionais que melhor conhecem e dominam esta nova técnica e equipamento e colocar-lhe desta feita o seu problema de saúde.

Sem comentários:

Enviar um comentário